in , , ,

7 dicas de finanças pessoais: Tenha uma saúde financeira saudável

7 dicas de finanças pessoais Tenha uma saúde financeira saudável

Cuidar das finanças pessoais é importante não apenas para sempre ter um dinheiro sobrando, em casos de emergência, mas também por muitas outras razões que envolvem objetivos pessoais.

É dessa forma que não nos endividamos, conseguimos realizar um sonho de consumo, além de estarmos preparados para situações de imprevistos.

O dinheiro é o que move a sociedade em que vivemos, e sem um capital, torna-se difícil ter acesso a tudo o que gostaríamos, bem como para o básico para a sobrevivência, como alimentação e moradia.

No Brasil, infelizmente, a maioria das pessoas não adota uma postura consciente em relação ao dinheiro, comprometendo todo o salário e, em alguns casos, até mais do que ganha, por agir por impulso e não controlar o orçamento.

Essa situação é comum e impede que os indivíduos conquistem seus objetivos e mudem a realidade em que estão inseridos. Afinal, se o dinheiro é, de alguma forma, tão importante, por que alguns são tão displicentes com ele?

Organizar as finanças pessoais e ter saúde financeira não significa viver de privações, mas sim de ter mais dinheiro e uma qualidade de vida melhor.

Neste artigo, vamos explicar melhor esse assunto e dar algumas dicas de finanças pessoais simples para você colocar em prática. Acompanhe a leitura!

O que são finanças pessoais e saúde financeira?

As finanças pessoais são uma modalidade de gestão financeira de uma única pessoa ou família. É por meio dela que são aplicadas práticas financeiras e que conseguimos entender como alguém usa o seu dinheiro e se organiza com os gastos domésticos.

Alguns exemplos de finanças pessoais que fazem parte do cotidiano são:

Ou seja, tudo o que diz respeito a gastos e investimentos, está dentro do que chamamos de finanças pessoais.

Logo, se você pagou pelos serviços de reciclagem de papel e cartão no último mês, isso entrou para o rol das suas finanças pessoais.

Saúde financeira, por sua vez, é a busca pela independência financeira, uma análise do comportamento que temos em relação ao dinheiro. É por meio dela que adotamos hábitos de consumo saudáveis e um melhor planejamento das finanças.

Muitas pessoas acreditam que uma boa saúde financeira diz respeito apenas a ter bens e muito dinheiro sobrando, mas é o oposto.

O conceito engloba um estudo comportamental do indivíduo em relação ao dinheiro, como seus hábitos de consumo, indo além de cálculos e planilhas.

Se uma pessoa está saudável financeiramente, ela tem uma vida estável, o que inclui ter suas necessidades básicas atendidas, como moradia, saúde, e educação, bem como a possibilidade de ter momentos de lazer.

O que são finanças pessoais e saúde financeira

Importância de uma gestão financeira

Cuidar das finanças pessoais e da saúde financeira impacta diretamente em outros aspectos da vida de uma pessoa, inclusive na saúde do corpo e da mente.

Se temos a vida financeira em ordem, podemos pagar por um imprevisto como conserto iphone tela quebrada, assim como é possível ter um convênio médico, comprar medicamentos e não se preocupar excessivamente com as contas.

Uma vida financeira desequilibrada pode reduzir o acesso a cuidados básicos com a saúde, sendo também uma das principais causas de estresse e ansiedade nas pessoas.

Para você ter uma ideia, o Brasil tem hoje quase 64 milhões de brasileiros endividados, e nosso país está entre as nações com o maior número de pessoas depressivas e ansiosas.

Nem todas elas desenvolveram esses problemas por conta da inadimplência, mas boa parte está relacionada aos problemas financeiros, resultantes de desemprego e falta de educação financeira.

Além de evitar que você adquira problemas físicos e psicológicos, uma boa gestão das finanças permite que as pessoas comprem o que desejam, como uma balança comercial com etiqueta para abrir um negócio.

Desse modo, é possível dimensionar melhor quanto gasta, quanto recebe, no que pode economizar, etc. As pessoas também são capazes de atingir seus objetivos financeiros, organizar o pagamento de contas, descartando a possibilidade de pegar empréstimos.

Assim, nos tornamos menos dependentes do dinheiro, fazendo com que ele seja um aliado na realização de sonhos e a solução para problemas que podem aparecer inesperadamente.

Em vista de toda essa importância, no tópico a seguir, nós separamos uma série de dicas para ajudar você a organizar suas finanças pessoais.

Dicas para uma boa finança pessoal

Algumas práticas simples podem te ajudar a organizar as finanças pessoais, assim como vemos empresas, como uma fabricante de caixa de encomenda 6b, fazerem. Dentre elas estão:

1. Anotar os orçamentos mensais

O orçamento mensal deve conter as despesas fixas, ou seja, aqueles gastos que você deve pagar todo mês, como:

  • Água, luz e internet;
  • Aluguel;
  • Faculdade ou escola particular;
  • Convênio médico;
  • Alimentação;
  • Transporte.

Inclua também as despesas variáveis, que não são fixas, mas que podem durar meses, como compras parceladas, despesas com medicamento, entre outras.

2. Elaborar uma planilha de controle de gastos

Uma planilha de controle de gastos permite que você visualize o quanto ganha e o quanto gasta. O primeiro passo é escolher a ferramenta, que pode ser o próprio Excel ou o Google Sheets.

Insira os meses do ano, as despesas e também uma célula para incluir o quanto você vai poupar, mesmo que agora não vá guardar nenhum dinheiro.

Em seguida, faça um mapeamento dos gastos dos últimos meses analisando um extrato bancário, como o dinheiro que você usou para pagar a regularização de uma cnh cassada e vencida.

Realize uma comparação dos seus gastos mensais com a sua renda atual e, com isso, é possível criar uma meta e ir retirando itens não essenciais. Não se esqueça de atualizar a planilha mensalmente.

3. Fazer listas de compras

Uma das coisas que mais prejudica as pessoas é ir ao supermercado sem uma lista de compras. Sem ela, você acaba comprando um item que já tinha no armário ou esquece o que é importante e volta para casa com itens desnecessários.

Se você vai com uma lista, consegue dimensionar melhor o quanto vai gastar e evita cair na tentação de comprar algo supérfluo.

4. Renegociar dívidas

As dívidas, principalmente com bancos e financeiras, rendem juros enormes, ainda mais se estiverem relacionadas a cartões de crédito e empréstimos.

Entre em contato com todas as empresas que você estiver devendo e negocie os valores.

Por exemplo, se as mensalidades da escola particular integral do seu filho estão atrasadas, entre em contato com a instituição e solicite uma negociação.

Priorize o que é mais importante e tente sempre pagar à vista. Caso não seja possível, procure parcelar em uma quantidade mínima de parcelas.

5. Fuja de juros e cartões de crédito

O pagamento à vista é sempre a melhor opção e deve ser prioridade. Por exemplo, se você vai comprar um calçado, junte o necessário para comprar à vista, uma vez que o parcelamento no crediário é um comprometimento temporário e pode trazer juros.

Evite ao máximo empréstimos e outras opções, pois ele têm juros altíssimos e fica mais difícil quitar. É melhor liquidar uma dívida por mês do que tentar pagar tudo de uma vez só com um dinheiro emprestado.

Use o cartão de crédito com moderação, ele pode ser de grande ajuda se você vai comprar um item mais caro, como um sistema de controle de acesso digital para a sua casa.

Mas torna-se um vilão se você usá-lo o tempo todo, como no cafezinho na padaria todos os dias.

5. Fuja de juros e cartões de crédito

6. Utilizar aplicativos de controle de gastos

A tecnologia também pode ser uma aliada no controle das finanças. Exemplo disso são os aplicativos que te ajudam a controlar seus ganhos e gastos, além de mostrar quando tudo está saindo do controle.

Se você tem dificuldades para se organizar sozinho, esses aplicativos fazem o seu planejamento financeiro e você consegue manter tudo sob controle. O melhor é que a maioria é gratuita.

Então, se você quer comprar um bloco personalizado 10×15, por exemplo, basta incluir o valor da compra, logo o app mostra se você está saindo do planejamento e o impacto que essa aquisição pode trazer.

7. Educar-se financeiramente

A internet é uma fonte inesgotável de aprendizado em diversas vertentes, inclusive quando o assunto são as finanças pessoais.

Existem artigos, vídeos, áudios e até cursos para te ajudar a ter uma boa saúde financeira e a lidar melhor com o seu dinheiro. Você pode aprender, por exemplo, como poupar, investir bem como ver dicas de negociação de dívidas.

Conclusão

Saber lidar com dinheiro é importante para qualquer pessoa, afinal, ele vai te acompanhar por toda a vida. Certamente, você quer que isso aconteça da melhor maneira, certo?

Para isso, é importante saber lidar com as contas e os rendimentos, equilibrando os dois lados, para que você possa ter qualidade de vida e realizar os seus sonhos.

Seja dono do seu próprio dinheiro e tome as rédeas de sua vida financeira. Temos certeza de que com essas dicas você nunca mais vai passar aperto, e verá o dinheiro como um amigo para todas as horas.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Whatsapp business o que é

Whatsapp business: o que é?

Como otimizar o SEO no site da sua empresa

Como otimizar o SEO no site da sua empresa