in ,

8 curiosidades sobre o Turismo Cultural

8 curiosidades sobre o Turismo Cultural

O turismo cultural é uma modalidade que está se expandindo nos últimos anos. De acordo com o Ministério do Turismo, muito disso deve-se ao próprio comportamento dos viajantes atuais.

Estes buscam atrações turísticas históricas e culturais, com o objetivo de conhecer, valorizar e aprender sobre a diversidade e as particularidades de uma dada região.

Normalmente, o turismo cultural envolve visitas aos monumentos históricos, complexos arquitetônicos, museus, bem como eventos artísticos, culturais, educativos, informativos ou de natureza acadêmica. 

Além disso, a modalidade também abarca comportamentos típicos de uma localidade. 

Por exemplo, em uma cidade conhecida por vinhos argentinos, é comum a visita às adegas, fábricas produtoras da bebida e restaurantes que explicitam a cultura gastronômica.

Ou seja, muito mais do que entretenimento, o turismo cultural é uma forma de conhecer a cultura dos habitantes locais e principalmente ampliar o conhecimento a respeito de uma sociedade, hábitos, línguas, entre outras manifestações de um povo.

No exemplo anterior de visita às adegas, é comum que os turistas levem uma garrafa de vinho pequena para lembrança, como forma de reviver a experiência e ter uma memória diferente do local visitando.

No artigo de hoje, confira algumas curiosidades do turismo cultural e as inúmeras possibilidades de atuação na área.

1 – O turismo cultural tem subdivisões

Engana-se quem pensa que o turismo cultural é uma modalidade homogênea, que envolve somente a visita aos museus e grandes edifícios preservados ou tombados como patrimônio público.

Ao contrário, é possível encontrar diferentes áreas de interesse específico, que incluem desde o acompanhamento acadêmico do processo de reciclagem de papel (muito comum em excursões escolares), até a visita a locais conhecidos por cenários cinematográficos.

1 - O turismo cultural tem subdivisões

2 – O turismo cultural ajuda a conhecer a pátria

O chamado turismo cívico é uma das subdivisões do turismo cultural, e nada mais é que visitas aos monumentos e participação em eventos que representem a situação presente, bem como a memória política e história de um determinado local.

Muitas pessoas praticam o turismo cívico mesmo sem perceber. Isso porque alguns complexos arquitetônicos são pontos turísticos famosos, ainda mais quando serviram à pátria, como símbolos de Estado.

As comemorações de feriados nacionais, além de eventos relacionados à pátria, como visitas guiadas ao Congresso Nacional, posses de presidentes, governadores e prefeitos também são parte da modalidade do turismo cívico.

Nessa lista, também podemos incluir os locais de evocação do espírito cívico de uma nação.

Excursões de escola infantil e ensino médio costumam ser frequentes para esses monumentos, como uma forma de conhecer a história política do Brasil.

3 – Peregrinações e igrejas também são cultura

O turismo religioso consiste em uma atividade turística que procura a espiritualidade ou a prática religiosa, sem levar em conta a origem étnica ou o credo. 

Em geral, a modalidade é realizada por turistas que têm interesse em:

  • Peregrinações e romarias;
  • Retiros espirituais e templos;
  • Eventos artísticos de caráter religioso;
  • Encontros de evangelização de fiéis;
  • Visita a espaços e edificações religiosas.

No Brasil, um dos locais mais famosos do turismo religioso é o Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, localizado no interior de São Paulo, na cidade de Aparecida do Norte, que recebe cerca de 12 milhões de peregrinos todos os anos.

Além disso, o turismo cultural também envolve o turismo místico e esotérico. 

Essa modalidade caracteriza-se por atividades que buscam a espiritualidade e o autoconhecimento relacionados às novas religiosidades.

Entre algumas práticas comuns, destacam-se as caminhadas místicas e as práticas de meditação.

4 – Vivência em aldeias e comunidades étnicas

O turismo étnico consiste nas atividades de vivência e contato direto com os modos de vida e identidade de grupos étnicos, remetendo à origem, práticas sociais e de raça, como elementos de identidade e diferenciação de grupos.

Por exemplo, um turista pode optar pela modalidade e, assim, vivenciar toda a rotina de uma aldeia, realizando a plantação de sementes de pasto, dormindo em casas típicas e participando de rituais próprios daquele povo.

O turismo étnico envolve comunidades representativas dos processos imigratórios europeus e asiáticos, indígenas, quilombolas, entre outros grupos sociais que preservam suas culturas e legados.

5 – Conhecer cenários de filmes famosos

O segmento audiovisual está incorporando às novas tendências mundiais do turismo cultural, em uma subdivisão chamada de “turismo cinematográfico”, que envolve a visita aos cenários de filmes e outras produções.

A modalidade traz muitas vantagens para a região, com capacidade de geração de empregos diretos e indiretos, além de ajudar na promoção da imagem do local.

Assim, é comum vermos uma impressão a laser de folders com informações sobre quais filmes foram gravados em uma cidade, entre outras curiosidades.

Um exemplo notório é a Nova Zelândia, onde aconteceu as filmagens do “O Senhor dos Anéis”, sendo um destino famoso para os fãs da saga.

Para quem gosta de experiências inusitadas, além do turismo cinematográfico, há a opção de conhecer cidades-cenário de acontecimentos ufológicos, como é o caso do município brasileiro de Varginha, em Minas Gerais.

Inclusive, a cidade é palco de uma série de aparições de discos voadores no ano de 1996, que foi relatada e documentada pelos moradores. 

Varginha é considerada o segundo maior caso ufológico do mundo, perdendo apenas para o Caso Roswell, em 1947, no Novo México.

6 – Oportunidade para saborear novos pratos

O chamado turismo gastronômico é parte do turismo cultural, pois utiliza como elemento da vivência e experiência da cultural local a oferta de serviços da culinária típica. 

As principais atividades da modalidade incluem a participação em eventos gastronômicos, visitação a restaurantes e bares, além de fábricas próprias de fabricação de alimentos e bebidas. 

No caso específico do vinho, a prática é conhecida como enoturismo.

A identidade gastronômica, enquanto elemento cultural de um povo, é trabalhada como um atrativo turístico, proporcionando ao viajante o conhecimento de uma determinada comunidade.

E não somente na produção dos pratos: mas em toda a cadeia produtiva dos alimentos, desde o plantio até a chegada à mesa.

Dessa maneira, os turistas compartilham dos costumes locais, resgatando o patrimônio imaterial da cultura, associado à identidade dos povos.

7 – Vários profissionais podem trabalhar com o turismo cultural

O turismo cultural é uma área muito ampla e vários profissionais podem trabalhar com o segmento. 

Geólogos, por exemplo, podem ser ótimos guias para apresentação de locais com terraplanagem, bem como os historiadores que podem orientar visitas em monumentos e igrejas, trazendo informações detalhadas sobre acontecimentos.

Ou seja, não é necessário ter uma formação apenas em Turismo. Pelo contrário, inúmeros profissionais graduados podem buscar uma especialização na área e, com isso, trabalhar com o turismo cultural.

Assim, uma possibilidade é realizar um curso tecnológico em turismo, com duração mais rápida (de em média, dois anos), para ampliar o repertório de conhecimentos em relação aos pontos turísticos e formas de abordagem, atendimento e recepção dos turistas.

Até mesmo professores podem se especializar em turismo, especialmente quando a escola em que atuam há oferecimento de excursões. 

Dessa forma, os tutores saberão como guiar os alunos em uma visita a fábricas, uma caldeira a lenha, museus, etc.

7 - Vários profissionais podem trabalhar com o turismo cultural

8 – É possível encontrar cursos de turismo online

Com o avanço da tecnologia e da internet, o curso de turismo pode se expandir e se democratizar, com o acesso em plataformas digitais e online. Desse modo, várias pessoas puderam conhecer a área e se profissionalizar no segmento.

Aliás, os cursos online são tão bons quanto os presenciais, além de disponibilizar materiais atualizados e professores experientes com atuação no turismo.

Por isso, vale a pena procurar por ambientes de qualidade, que ofereçam cursos reconhecidos. 

Mais do que uma experiência gratificante em termos de conhecimento, é uma maneira de aprimorar o currículo e se aperfeiçoar no âmbito profissional.

Conclusão

O que achou das curiosidades sobre o turismo cultural?

Percebe-se que a modalidade é muito ampla e é uma oportunidade de conhecer lugares, histórias, monumentos, culturas, pratos e costumes durante uma viagem, tornando a experiência muito mais ampla do que somente visitas aos pontos turísticos tradicionais.

Embora a prática do turismo cultural não seja nova, o governo brasileiro tem investido em políticas públicas para ampliar o financiamento e incentivo na área de cultura.

Para isso, há o destaque para a Lei no 8.313, de 23 de dezembro de 1991 e o Programa Nacional de Apoio à Cultura (PRONAC).

Afinal de contas, o turismo é uma das modalidades que mais gera renda e emprego aos brasileiros, por isso, nada melhor do que procurar alternativas para proporcionar vivências únicas aos viajantes.

Espera-se um crescimento cada vez maior na área de turismo e, em conjunto, a ampliação de cursos online no segmento, para a formação de turismólogos, técnicos em turismo e outros profissionais do ramo.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Referências

https://www.suapesquisa.com/turismo/turismo_cultural.htm

https://www.megacurioso.com.br/estilo-de-vida/109294-celebre-o-dia-mundial-do-turismo-com-estas-13-curiosidades-interessantes.htm

https://www.infoescola.com/cultura/turismo-cultural/

http://www.turismo.gov.br/sites/default/turismo/o_ministerio/publicacoes/downloads_publicacoes/Turismo_Cultural_Versxo_Final_IMPRESSxO_.pdf

https://all.accor.com/pt-br/brasil/magazine/one-hour-one-day-one-week/turismo-religioso-no-brasil-24380.shtml

https://turismo.ig.com.br/destinos-nacionais/2019-07-25/os-ets-estao-entre-nos-10-lugares-no-brasil-para-fazer-turismo-ufologico.html

Você gostou?

0 points
Upvote Downvote

Total votes: 0

Upvotes: 0

Upvotes percentage: 0.000000%

Downvotes: 0

Downvotes percentage: 0.000000%

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

Comments

comments

3 curiosidades de informática que você precisa saber

3 curiosidades de informática que você precisa saber

6 motivos para fazer um curso de merendeira

6 motivos para fazer um curso de merendeira