in

Como a linguagem de sinais pode impactar na comunidade?

Como a linguagem de sinais pode impactar na comunidade

Engana-se quem acha que ela é expressa unicamente pela oralidade ou escrita formal; ao contrário, a linguagem de sinais é a prova de que é possível se relacionar e promover a inclusão social ao mesmo tempo.

Afinal, a comunicação é fundamental para o relacionamento humano e a linguagem ajuda no desenvolvimento psicossocial do indivíduos, além de ser uma importante fator na construção da sociedade. 

Afinal de contas, é através dela que nos apropriamos da cultura do entorno, entendemos o micro e o macro universo, além de estabelecer relações sócio-afetivas.

Mas, para a comunidade surda, a privação da linguagem é uma dura realidade, já que a língua de sinais ainda é pouco vista e aprendida nas escolas.

Isso demonstra uma certa resistência ao ensino de Libras (Língua Brasileira de Sinais) e, consequentemente, uma das faces do capacitismo.

Com os progressivos avanços no que diz respeito às discussões de inclusão social, a linguagem de sinais ganhou notoriedade nos últimos anos, principalmente após 1993.

Nesse ano, a Libras foi concebida como a língua padrão dos surdos brasileiros, durante a Assembleia da FENEIS (Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos).

Embora ainda sejam necessários muitos debates, além de ampliar o acesso ao aprendizado da língua de sinais, o Brasil caminha aos poucos nessa jornada inclusiva. 

O artigo de hoje visa mostrar um pouco mais de como a linguagem de sinais pode impactar na comunidade e trazer algumas informações relevantes, por exemplo, onde é possível aprender Libras, os benefícios dessa língua, entre outras questões.

Quer saber mais? Então acompanhe a leitura!

O que é Libras e língua de sinais?

As línguas de sinais são idiomas baseados nos movimentos das mãos, expressões faciais e corporais, sendo usada para a comunicação com pessoas com deficiência auditiva ou com incapacidade de expressão vocal.

Com esse tipo de linguagem, as pessoas conseguem fazer um pedido que consta no folder restaurante com a movimentação das mãos e do corpo, desde que o receptor também compreenda o idioma.

Existem inúmeras línguas de sinais em todo o mundo, que se diferenciam conforme a cultura e nacionalidade. Elas se configuram como um idioma natural, com gramática, fonologia, morfologia, sintaxe e semântica complexas e estruturadas.

Ou seja, as línguas de sinais não são as mesmas e elas não podem ser confundidas como uma mera linguagem comum à toda comunidade surda, ou apenas como um conjunto de gestos com as mãos. 

Elas possuem um sistema linguístico legítimo, inclusive estudado pelos linguistas do mundo todo.

No caso específico da Libras, ela é derivada da língua de sinais autóctone, isto é, da região atual do Brasil. 

Vale ressaltar que muitas pessoas acham que a Libras é somente uma língua de gestos que representa o português brasileiro, mas não – ela é uma língua autêntica do nosso país.

A Libras é reconhecida legalmente como uma língua oficial, de acordo com a Lei no 10.436 de 24 de abril de 2002. Segundo a determinação, o poder público deve garantir o apoio para o uso e difusão das Libras como meio de comunicação nas comunidades surdas.

Além disso, é responsabilidade do sistema estadual e municipal assegurar a inclusão de Libras nos cursos de formação de educação especial, fonoaudiologia e magistério, nos níveis médio e superior.

O que é Libras e língua de sinais

Quais as principais características da Libras?

Seja para realizar uma palestra formal ou para fazer um simples pedido em uma barraquinha de festa, a Libras é um idioma como outro qualquer e, por isso, segue uma série de diretrizes e características que facilitam a comunicação.

No caso da Língua Brasileira de Sinais, ela é regida por 5 parâmetros, que são:

  • Configuração das Mãos (CM);
  • Ponto de Articulação (PA);
  • Movimento (M);
  • Orientação (O);
  • Expressões Não Manuais (ENM).

A CM envolve os gestos feitos pelas mãos, como a figura de cada letra do alfabeto. 

Já o PA é a localização das mãos em relação ao restante do corpo, visto que cada altura das mãos pode ter um significado diferente.

O Movimento (M) diz respeito ao modo como as mãos são configuradas, se movimentam ou permanecem estáticas. Ele é usado em conjunto com a Orientação (O), que refere-se à direção dos movimentos das mãos.

Por fim, as ENM são as ações realizadas por outras partes do corpo, como a boca, pois a Libras também utiliza muito da expressão facial.

É importante aprender todos os cinco parâmetros do idioma, uma vez que, para se comunicar com clareza, é necessário evitar os ruídos da comunicação, que também ocorrem nas línguas de sinais.

Onde posso aprender Libras?

O ensino da Língua Brasileira de Sinais é garantido em algumas faculdades, conforme os decretos, leis e portarias. No entanto, algumas escolas preocupadas com a educação inclusiva iniciam o aprendizado da linguagem desde a educação infantil.

Há um número crescente de escolas que se preocupam em garantir a acessibilidade à comunidade surda, além de disponibilizar o aprendizado da Libras. 

Quando uma creche infantil particular oferece esse ensino, até mesmo para indivíduos não deficientes, ela ajuda a formar cidadãos mais conscientes e sensibilizados à diferença.

Entretanto, é possível aprender Libras em faculdades próprias de Letras, ou em ensinos especializados na Língua Brasileira de Sinais.

Com o Decreto-Lei no 5.625 de 2005, ficou estabelecido que o ensino de Libras é obrigatório como disciplina curricular nos cursos de formação de professores, Fonoaudiologia e Licenciaturas em geral.

Hoje em dia, com o avanço da internet, é possível encontrar plataformas de cursos online destinadas ao ensino de Libras. 

Muitas pessoas, especialmente autodidatas, também aprendem a língua estudando a constituição dos gestos e toda a estrutura gramatical, morfológica e sintática que acompanha o idioma, com a impressão digital das figuras de movimento.

Por que é importante aprender Libras?

A comunicação por meio da Libras ajuda a criar um ambiente de melhor compreensão entre surdos e ouvintes, uma vez que já está previsto em Lei a presença de intérpretes de sinais em escolas e universidades, instituições públicas e até  programas de televisão.

Inclusive, em várias campanhas, é possível verificar a presença de bandeirola colorida destacando a presença de intérpretes para a comunidade surda.

Mais do que um cumprimento legal, a Libras é uma importante forma de praticar a inclusão social e diminuir a exclusão de pessoas com deficiência na sociedade, além combater preconceitos.

A pessoa surda, com deficiência auditiva ou oral, pode desenvolver integralmente todas as suas possibilidades de socialização, cognição, afetivas e emocionais, o que ajuda na melhor participação em sociedade.

Atualmente, é possível encontrar até adesivo automotivo, identificando que os motoristas, passageiros ou qualquer outra pessoa ali presente pertence à comunidade surda, como uma forma de facilitar a comunicação entre todos.

Daí a importância do contato com Libras desde criança ou o mais cedo possível, para que o idioma seja aprendido com eficácia e seja encarado como ele realmente deve ser: a outra língua oficial do Brasil.

Quando a Libras é ensinada nas escolas, o idioma ajuda no desenvolvimento cognitivo das crianças, melhorando as habilidades de atenção, discriminação visual e memória espacial.

Para as crianças surdas, o ideal é que os pais se comprometam em fazer um acompanhamento para aprender, ao lado de seus filhos e filhas, o idioma da língua de sinais.

Ao mesmo tempo, aprendem a lidar com outras questões que envolvem pessoas com deficiência

Ou seja, é preciso encarar as dificuldades ainda presentes na comunidade e, se necessário, promover a integração de outras formas, com tratamento psicológico, fonoaudiológico e até terapias alternativas, como acupuntura para ansiedade.

Afinal, uma das coisas que mais angustia os pais de pessoas surdas não é a deficiência auditiva em si, mas o obstáculo da comunicação.

Até mesmo as empresas, compreendendo a importância da inclusão social e da geração de oportunidades para pessoas com deficiência, têm encarado o ensino de Libras como algo indispensável para a sociedade atual.

Assim, percebe-se um número cada vez maior de palestras com brindes executivos que tratam sobre questões para superar o capacitismo, promover a integração das diferenças e fomentar a consciência cidadã.

Por que é importante aprender Libras

Conclusão

Lidar com as diferenças e combater os preconceitos é algo necessário para o desenvolvimento da sociedade. 

No caso das pessoas com deficiência, em especial a comunidade surda, o aprendizado das línguas de sinais torna-se imprescindível para superar as barreiras de comunicação e, assim, promover a integração social.

Por esse motivo, a Libras, como um dos idiomas oficiais do Brasil, deve ser cada vez mais difundida em escolas, além do cumprimento das determinações legais que asseguram o aprendizado, ensino e acessibilidade das pessoas surdas.

Com isso, a sociedade caminha em um percurso cada vez mais cidadão, oferecendo oportunidades com mais equidade.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Você gostou?

0 points
Upvote Downvote

Total votes: 0

Upvotes: 0

Upvotes percentage: 0.000000%

Downvotes: 0

Downvotes percentage: 0.000000%

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

Comments

comments

A importância de uma boa harmonização no ambiente

A importância de uma boa harmonização no ambiente

Como a metrologia industrial interfere no nosso cotidiano

Como a metrologia industrial interfere no nosso cotidiano?