in ,

Como um porteiro pode afetar a administração de condomínios?

Como um porteiro pode afetar a administração de condomínios

Para que a administração de condomínios seja eficiente, é necessário que existam diferentes funcionários contratados para exercer as atividades pertinentes da rotina do local. 

O porteiro possui, assim como o zelador, o jardineiro e o síndico, uma série de funções diárias relacionadas ao seu cargo, que devem ser cumpridas de maneira eficiente para garantir um bom trabalho, a segurança e satisfação dos moradores do condomínio. 

De fato, as demandas que surgem no dia a dia podem ser facilmente conduzidas pelo porteiro, mas é indispensável que ele esteja atento ao que é da sua alçada, justamente para que possa exercê-la com maior produtividade. 

Pode ser que o colaborador tenha conhecimentos sobre manutenção hidráulica, por exemplo, mas esse tipo de serviço pode fazer com que ele seja deslocado da sua área de trabalho, o que pode gerar problemas para a portaria do prédio. 

Por isso, entender quais são as funções e garantir que o profissional esteja sempre pronto para atendê-las, é essencial para que o funcionamento do condomínio não seja afetado, além de otimizar o cumprimento das atividades do espaço como um todo. 

Afinal, a portaria é uma das áreas mais importantes do prédio, já que nela se centraliza uma série de demandas dos moradores e de segurança. 

Se você reconhece a importância do porteiro para um bom gerenciamento do condomínio e quer entender melhor o quanto a profissão pode impactar a administração do espaço, siga na leitura deste artigo. 

O que faz um porteiro?

Quem já foi até um condomínio, seja de modo profissional para realizar a entrega de remédio, ou mesmo para visitar um amigo ou familiar, sabe que o primeiro contato que se faz ali é com o porteiro. 

O que faz um porteiro

O profissional é responsável por várias atividades, tais como:

  • Controlar o acesso de pessoas;
  • Receber correspondências ou entregas;
  • Recepcionar e direcionar prestadores de serviço;
  • Cuidar do livro de ocorrências;
  • Perceber e relatar situações estranhas.

1. Controle de acesso de pessoas

Uma das primeiras – e se não a principal – função do porteiro é fazer o gerenciamento de entrada e saída de pessoas, tanto no que diz respeito aos moradores, quanto dos visitantes. 

Isso porque, com um olhar atento e com a verificação da liberação de entrada por parte dos condôminos, o profissional pode evitar que pessoas estranhas e não autorizadas entrem no espaço, de maneira a garantir a segurança do condomínio. 

É indispensável que o porteiro faça um cadastro dessa visita, além de verificar com o morador se a pessoa que deseja entrar no local pode ser liberada. 

Isso pode ser feito com o uso do interfone, assim como das câmeras de segurança, para auxiliar na identificação. 

2. Receber correspondências e entregas

As correspondências e entregas que chegam para os moradores, o que certamente apresenta um grande volume de itens a depender do número de apartamentos do espaço, são recebidas pelo porteiro. 

Ele está autorizado a receber cartas, faturas de cartão de crédito ou pacotes, inclusive contendo uma persiana sob medida, garantindo que os condôminos recebam esses itens que são de interesse e de posse deles. 

Dessa forma, o porteiro agiliza uma das necessidades de grande movimentação no prédio.

Já no caso de entregas de refeição, o porteiro fica encarregado de ligar para o morador, uma vez que esse serviço pode implicar no pagamento do produto no ato, por exemplo. 

3. Recepcionar e direcionar prestadores de serviço

Qualquer condomínio passa por uma série de reparos e manutenções que podem ir desde a reforma da fachada comercial moderna, até o ajuste dos brinquedos do parquinho do espaço. 

Para isso, um profissional deve ser contratado, de modo que quando ele chega no local, o porteiro fica encarregado de recebê-lo e direcioná-lo para o local onde o técnico vai realizar o serviço contratado. 

Além disso, também chegam ao condomínio alguns prestadores de serviços particulares, que vão fazer um determinado tipo de trabalho em um apartamento e não na área comum. 

Assim, se um eletricista chega para fazer a manutenção de uma instalação elétrica aparente na residência de um dos moradores, é indispensável que o porteiro entre em contato com o condômino e verifique se o profissional pode ter a entrada liberada. 

Esse cuidado é fundamental, evitando a presença de pessoas não autorizadas no espaço. 

4. Cuidar do livro de ocorrências

O livro de ocorrências é de grande importância para o condomínio, já que é nele que ficam registradas situações de todos os tipos, que serão abordadas posteriormente em reuniões e assembleias com todos os moradores. 

Ele pode conter desde relatos de problemas entre os condôminos, até a solicitação de que os responsáveis agendem um serviço de retira entulho que pode ter restado de uma obra feita no espaço. 

Além de fornecer e de guardar o livro de ocorrências, o porteiro deve verificar se o relato foi devidamente assinado pelo morador, como um modo de evitar problemas com anonimato ou registros feitos em nome de outras pessoas. 

A cada nova ocorrência, o porteiro deve informar os responsáveis pela administração do condomínio que houve um registro, para que ele chegue ao conhecimento do síndico, por exemplo. 

5. Perceber e relatar situações estranhas

As câmeras de segurança tornaram-se elementos presentes em diversos tipos de áreas, seja em uma sala comercial pequena ou dentro de um condomínio, principalmente em locais de uso comum. 

Em geral, o acesso às imagens geradas por esses equipamentos ficam na portaria, de modo a facilitar o trabalho do porteiro. Justamente por isso, outra função do profissional é perceber e relatar situações estranhas dentro do condomínio. 

Elas podem ser desde algum tipo de vandalismo até a presença de ações estranhas, que demandam intervenção policial. Nesse sentido, é fundamental que o porteiro esteja sempre atento, de modo a auxiliar na proteção e segurança de todos. 

Todos esses cuidados são funções do porteiro, que deve agir com discrição e ética, de forma a prestar um bom serviço para todos os condôminos. 

5. Perceber e relatar situações estranhas

O que um porteiro não faz?

Tão importante quanto saber quais são as atribuições de um porteiro é saber quais não são, garantindo que ele esteja sempre dedicado às suas atribuições. 

Nesse sentido, o primeiro ponto que deve ser esclarecido é que o porteiro não é um zelador. 

Isso significa que ele não é o responsável por fazer ajustes nas áreas comuns, como trocar uma lâmpada ou fazer a limpeza do salão de festas.

Além disso, o porteiro também não é vigilante do condomínio. Apesar de ele poder verificar e informar situações estranhas, ele não está devidamente habilitado para atuar em momentos de risco, ficando essa função aos cuidados da equipe de segurança. 

Outro ponto importante é que o porteiro não faz a entrega de cada carta ou pacote que ele recebeu na portaria, devendo o morador vir retirar as suas encomendas e correspondências.

Há condomínios onde uma caixa de correio é disponibilizada para cada apartamento, de modo que os condôminos podem retirar os seus pertences diretamente nessa área. 

Garantir que o porteiro esteja sempre voltado para as suas funções na portaria é indispensável para a segurança do local, já que o abandono do espaço pode trazer diversos prejuízos para a segurança do prédio, afetando o espaço como um todo. 

Exemplos disso são: a demora na liberação da garagem, o não recebimento de correspondências, entre outros aspectos já mencionados anteriormente.

Por isso, o porteiro deve estar sempre focado nas suas atividades, evitando ter que sair da área para atender a outras demandas que podem atrapalhar o correto funcionamento do espaço. 

Para tanto, os condôminos devem saber dessa importância, para que solicitem os serviços do profissional de modo assertivo, sem tirar a atenção dele do seu trabalho.

Nesse sentido, torna-se essencial informar aos moradores o que eles devem fazer quando precisarem de um suporte do condomínio, para que possam recorrer às medidas necessárias de maneira correta. 

Considerações finais

Gerenciar um condomínio exige que uma série de profissionais esteja atuando diariamente, tanto em relação à limpeza do espaço, quanto na administração da entrada e saída de pessoas, demandas pertinentes dentro de um empreendimento desse porte. 

Nesse sentido, assim como para se fazer um paisagismo de jardim é indispensável que o profissional passe por uma qualificação, para entender mais sobre as funções de porteiro, é importante buscar por um curso na área. 

Além de conhecer melhor sobre a profissão em si, é possível ter maiores subsídios para gerenciar a portaria e passar para os colaboradores que atuam na área sejam melhor direcionados sobre o que deve ser feito e evitado na rotina do trabalho. 

Dessa forma, o controle de entradas e saídas é muito mais eficiente, garantindo que o prédio estará sempre aos cuidados de um porteiro qualificado e pronto para exercer as suas funções.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quais os principais benefícios de um curso online em odontologia

Quais os principais benefícios de um curso online em odontologia?

Descubra quais tipos de limpeza para seu tipo de pele

Descubra quais tipos de limpeza para seu tipo de pele