in ,

Qual a importância de aprender matemática financeira?

Qual a importância de aprender matemática financeira

Se tem uma verdade que os antigos já diziam e continua atual é a de que “dinheiro não leva desaforo”.

Ou seja, tanto para empresas quanto para os indivíduos, é fundamental ter algum conhecimento sobre matemática financeira, mesmo que seja por precaução.

Esse ditado consiste em lembrar o fato de que nem sempre é tão simples administrar a própria situação econômica.

Daí que seja preciso teorizar e racionalizar ao máximo essa dimensão da vida, em vez de se deixar levar.

Basta imaginar uma empresa de entrega motoboy que acabou de abrir as portas para o mercado.

Ela passará por alguns meses de desafio, faturando menos e tendo alguns custos e gastos fixos com os quais arcar, como aluguel e folha de pagamento.

Qual é a solução? Trata-se de ter um capital de giro para conseguir quitar as dívidas e manter a operação, mesmo sem estar no azul em termos de receita e lucratividade. Lembrando que esse capital de giro é bem diferente do capital inicial.

No segundo caso, o que temos é um montante em dinheiro que será investido para montar a infraestrutura do negócio, até que ele abra as portas e comece a funcionar.

Temos aqui um ótimo exemplo, pois confundir um capital com o outro já seria algo desastroso.

O mesmo vale para uma pessoa que usa cartão de crédito em seu nome de pessoa física.

Porém, se deixa levar mais pelo prazer de comprar e pelo impulso, do que por uma análise fria da sua própria situação e do que pode ou não ser consumido.

Afinal, ao entrar em uma plataforma digital ou em uma agência de viagens, será que todo mundo tem na ponta do lápis quanto as férias dos sonhos custam e qual será o peso total dela na economia da pessoa, do casal ou da família completa?

Aí é que entra a importância de aprender alguns princípios de matemática financeira, bem como os motivos pelos quais decidimos escrever este texto, detalhando o assunto com conceitos básicos e conselhos práticos sobre como fazer.

Na prática, qualquer controle financeiro tem um princípio que é imortal e imutável, baseado em duas colunas apenas.

Uma delas é a de entrada, e a outra, de saída, tanto em finanças pessoais quanto empresariais ou de qualquer outra corporação.

Também assim, o esforço sempre vai ser o de manter-se no azul, fugindo o máximo possível do vermelho.

Ou seja, o esforço de ter uma reserva financeira que garanta alguma segurança em momentos de crise, e de não dever a ponto de ficar sem esse caixa.

Um ponto interessante é justamente esse fato de que hoje a matemática financeira evoluiu tanto, que realmente já pode auxiliar todo tipo de demanda, desde uma pessoa física que quer começar a comprar alimentos integrais, até grandes empresas e indústrias.

Dito isto, se o seu interesse mais genuíno e imediato é aprender de uma vez por todas como alguns princípios matemáticos podem mudar sua vida financeira, trazendo a segurança de que todo mundo necessita, basta seguir até o fim na leitura deste artigo.

O que é a matemática financeira?

Em sentido estrito, trata-se de um curso profissionalizante de cunho técnico. Ou seja, seu profissional é um tecnólogo, mas não um graduado.

Ele também pode aprender como licenciado, voltado para aplicação, ou bacharel, voltado para a educação.

Já em sentido mais vago, trata-se de uma prática que consiste em aplicar algumas fórmulas e cálculos voltados para a organização ou racionalização dos gastos financeiros.

Essa matemática pode e deve ser aplicada mensalmente, como modo de manter em dia o fluxo de caixa e o balanço geral dos interessados.

Portanto, onde quer que haja entrada e saída de dinheiro, ela se faz necessária, podendo ajudar e muito.

Por outro lado, há circunstâncias em que ela é ainda mais indicada, como quando alguém vai comprar imóveis, situação em que as demandas por cálculos e fórmulas triplicam em termos de importância, ou mesmo de complexidade e demanda.

O que é a matemática financeira?

Em todo caso, alguns princípios básicos da matemática financeira podem incluir o seguinte:

  • Entrada e saída de recursos;
  • Noções básicas de capital;
  • Juros simples e compostos;
  • Acréscimos e descontos;
  • Relação de tempos e taxas;
  • Porcentagens e frações;
  • Razões e proporções reais;
  • A regra de três composta.

Assim, qualquer um consegue atingir uma visão integral do contexto que está sendo focado. Lembrando que, muitas vezes, as finanças estão ligadas não apenas à segurança e estabilidade, mas também à realização de sonhos pessoais.

É o caso de quem deseja comprar um carro, uma casa ou fazer aquela viagem incrível. Em termos empresariais, pode ser a diferença entre conseguir um parceiro ou simplesmente acabar ficando para trás, como será detalhado adiante.

O que precisa ficar claro é que poucas pessoas ou empresas têm toda quantia de que precisam para realizar suas metas e para crescer sem limites, de modo que, para correr atrás dos próprios objetivos, é preciso dominar as finanças.

As vantagens para a empresa

Hoje em dia, quando uma empresa nova ou uma startup procura um fundo de investimento para poder crescer, a primeira exigência do órgão credor é que haja uma Plano de Negócios ali, com a parte das finanças muito bem detalhada.

Ou seja, quando os donos e sócios forem desenhar um projeto de crescimento, uma das colunas principais vai ser a da matemática financeira.

Afinal, antes de investir em uma empresa de limpeza, você vai querer ter certeza de que seus donos entendem o mínimo necessário sobre as finanças do negócio, certamente.

Tanto que hoje já se fala em saúde financeira, como algo que diz respeito à sustentabilidade de determinada marca ou empresa. Alguns pensam que essa palavra só tem o sentido ecológico, de não desmatar ou poluir a natureza.

Esse sentido também é importante, mas hoje ele se tornou muito mais abrangente. Inclui, por exemplo, a capacidade que um negócio tem de fazer escala, ou seja, multiplicar sua operação e sua folha de pagamento, sem travar financeiramente.

Lembrando que nem todo empresário precisa necessariamente dominar esse assunto. Ele pode entender apenas de serviço de paisagismo, mas certamente precisará de um representante, colaborador ou gestor qualquer para lidar com os números.

Tais cargos podem incluir desde um contador terceirizado, até um CFO (Chief Financial Officer), que nada mais é do que um diretor financeiro, tão importante quanto outros diretores, como o famoso CEO (Chief Executive Officer), que é o chefe executivo.

As vantagens para a empresa

Os vários benefícios pessoais

Mais recentemente, as grandes empresas têm criado plataformas de suporte de educação financeira para seus próprios funcionários.

A razão é bem simples: se uma pessoa está passando por problemas financeiros, dificilmente ela conseguirá ter um bom desempenho no horário de trabalho.

Isso vai muito além do que imaginamos, pois atualmente já existe até um quadro clínico para esse tipo de problema. Trata-se do termo estresse financeiro, que remete ao fato de que poucas pessoas conseguem simplesmente abstrair esse tipo de problema.

Um sinônimo para esse termo novo é dinheirofobia, não no sentido de ter medo do dinheiro quando ele está presente, evidentemente, mas sim, como ansiedade e até angústia pelo risco de ele vir a faltar no fim do mês.

Também é por isso que algumas pessoas acabam buscando outras fontes de renda, como vender perfumes importados nas horas vagas, ou abrir um negócio digital para fazer isso, sem abandonar o trabalho e a renda principal da família.

Aqui, o que a matemática financeira vai ajudar a fazer é bem simples:

  • Criar metas e objetivos claros;
  • Não gastar mais do que se ganha;
  • Sempre priorizar a compra à vista;
  • Definir teto de limites de gasto;
  • Manter poupança e investimentos.

Sem falar em outras dicas e vantagens que a matemática ajuda a trazer indiretamente, como o uso da tecnologia.

De fato, atualmente já existem programas e até aplicativos de celular para ajudar a manter os números em dia, inclusive com mecanismos de alerta de risco.

Usando a tecnologia positivamente

Ao falar sobre o uso da tecnologia na área de matemática financeira, é preciso dar um pouco mais de atenção a este ponto específico.

Uma empresa pode instalar um ERP (Enterprise Resource Planning), que traz um Sistema Integrado de Gestão Empresarial, amarrando as finanças com as demais demandas.

Já a pessoa física, antes de fechar um contrato de algo como pilates para artrose, pode conectar o cartão de crédito a um sistema mais amplo, que projeta os impactos de determinada compra no médio e longo prazo.

Tudo isso impede não apenas que se caia no gasto excessivo e na simples compra impulsiva, mas também na perda de um horizonte claro, o que também poderia causar ansiedade e angústia, como já referido.

Considerações finais

Enfim, tratar das finanças é colocar sobre a mesa um dos pontos mais delicados da vida de qualquer pessoa, ou mesmo de qualquer negócio.

Para não correr o risco de ficar no vermelho e sofrer psicologicamente, é preciso entender melhor a importância da matemática financeira, tal como detalhado acima.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Como me preparar para um concurso público

Como me preparar para um concurso público?

Qual o papel da psicologia no ambiente de trabalho

Qual o papel da psicologia no ambiente de trabalho?