in , , ,

O que é TDAH?

O que é TDAH

Aparecendo, inicialmente, como uma doença que envolvia inúmeros mitos comportamentais e até mesmo sociais em crianças, adolescentes e adultos, o TDAH passou a ser um dos diagnósticos mais tratados nos últimos anos, especialmente nas instituições de ensino.

Envolvendo sintomas facilmente descobertos em crianças que iniciam a vida letiva, o TDAH é um transtorno que atinge diretamente a capacidade de interação social, concentração e desempenho, podendo causar sérios danos para seus pacientes, caso não sejam tratados.

Por isso, é importante entender de fato sobre o que é essa doença crônica e como ela se manifesta nas mais diferentes áreas da vida, sabendo ainda as melhores formas de acalmar os comportamentos, em prol de uma melhor condição de vida.

O que é o TDAH?

O Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é uma doença crônica, reconhecida principalmente na infância, e caracterizada pela inquietude mental e motora, falta de atenção e impulsividade fora dos padrões normais, como em refeições coletivas.

Conforme um levantamento da Associação Brasileira do Déficit de Atenção, cerca de 8% da população infantil no Brasil e em todo o mundo apresenta essa doença, mostrando uma redução se analisada em um aspecto onde os pacientes são adultos.

De acordo com pesquisas, as causas do TDAH podem surgir de três formas. 

A primeira é a genética, especialmente quando um laço parental direto possui a doença. A segunda por possíveis alterações no cérebro, por causas diversas. E a terceira por fatores externos e ambientais.

Assim, podemos entender que crianças que sofreram algum tipo de abuso, violência ou quando geradas em uma gravidez onde a mãe fez uso de substâncias tóxicas para o bebê, podem apresentar o TDAH com maior facilidade do que outras.

Quais seus sintomas?

É comum que esse transtorno seja facilmente reconhecido ou visto como originado no ambiente escolar.

Visto que este é o local onde crianças passam a ter suas primeiras experiências sociais e educacionais, sempre com foco na interação constante.

Por exemplo, em uma aula de natação para iniciantes de uma escola, é possível que uma criança passe a apresentar dificuldade de prestar atenção no que é dito.

Além de se movimentar excessivamente, explodindo em algumas atitudes com colegas.

Sintomas como estes são considerados principais, vindo atrelados, ainda, com as seguintes atitudes, presentes juntas ou de forma individual, mas sendo parte de um quadro diagnosticado clinicamente como de TDAH:

  • Dificuldade com tarefas e seus detalhes;
  • Dificuldade com instruções repassadas;
  • Problemas com organização;
  • Desatenção com falas e mensagens repassadas;
  • Distração rápida e fácil após estímulos externos;
  • Movimentação motora e verbal excessiva;
  • Interrupção constante de falas de terceiros.

Basicamente todas essas características são mais fáceis de serem notadas quando os portadores do transtorno estão dentro de atividades onde a socialização predomina, como no caso de uma demonstração em sala de aula e atividades de estimulação sensorial.

Dessa maneira, é comum que muitas vezes uma criança ou adolescente com TDAH seja vinculado automaticamente como uma pessoa que não se importa com o ambiente escolar ou que muitas vezes soa egoísta e desrespeitoso com colegas e professores.

Na fase adulta, em especial nas universidades ou no próprio local de trabalho, o paciente de TDAH apresenta uma grande dificuldade com organizações e cumprimento de prazos, o que nessa fase pode trazer problemas ainda mais graves, como vícios.

Quais seus sintomas?

É importante salientar que grande parte das pessoas que apresentam o transtorno já possuem uma disposição prévia para doenças para o uso de álcool, cigarro e outras drogas, o que é redobrado quando ocorre a frustração de não se adequar ao ambiente.

Além disso, a alta possibilidade de perder a concentração por meio de desvios, como em uma situação onde um cachorro late ou uma buzina toca, essas pessoas acabam tendo maior dificuldade de fazer aula de dirigir carros, embora não seja impossível.

Os tipos de TDAH e as formas de identificação

Ainda que os sintomas e as principais formas comportamentais identifiquem uma pessoa com TDAH, é possível que outras características possam surgir, intercaladas ou ao mesmo tempo, sugerindo possíveis níveis do transtorno, que apresenta três variações. 

É importante salientar que mesmo que cada um desses tipos tenham graus e formas diferentes de manifestação da falta de atenção e hiperatividade, o TDAH, no geral, tem formas leves, médias e graves da doença, sendo ditadas por especialistas da área. 

Veja abaixo as três principais formas, que podem vir a ser medidas por um profissional, mas que sobretudo mostram que é possível entender cada caso, para que cada tratamento seja o mais centrado e eficiente possível.

Tipo desatento

Iniciando pelo tipo desatento, esses pacientes com TDAH  geralmente não mantêm o foco em seus comportamentos, possuem máxima falta de concentração, organização e cumprimento de prazos, além da identificação tardia de comunicações diretas.

Essas pessoas têm uma preponderância maior na parte comunicacional e de raciocínio rápido, principalmente em situações onde precisam lidar com outras pessoas, como em um trabalho em grupo da escola educandário ou da faculdade.

Outras formas comuns desse tipo de transtorno é a facilidade de perder itens pessoais, combinadas com os outros comportamentos vistos acima. 

Quase sempre essa acaba sendo uma prática comum, e acontece mesmo sem a pessoa querer.

Tipo hiperativo e impulsivo

Essa especificação do TDAH tem como principal diferenciação comportamentos que mostram uma hiperatividade visível, no caso de pessoas que costumam a se mexer com bastante frequência, tendo dificuldade de permanecer parado em um mesmo lugar.

Por exemplo, é possível que essa pessoa, além de ter uma maior dificuldade de estar calma em um único lugar, passe a movimentar objetos como persiana vertical para porta, expondo uma questão com ambientes com poucas mudanças e com alta quietude.

Por conta desse combo de atitudes, além de pessoas com esse diagnóstico serem mais suscetíveis a vícios, elas também apresentam atitudes mais raivosas do que o normal, sendo alvo comum nesse tipo de TDAH a irritabilidade excessiva.

Tipo combinado

Como o próprio nome sugere, é possível ter nessa determinação do transtorno tanto comportamentos vistos no primeiro quanto no segundo tipo, podendo apresentar todas ou algumas delas, combinadas ou não, o que dificulta o diagnóstico.

Tudo vai ser acompanhado com o profissional capacitado, que irá colocar em evidência durante as consultas e os acompanhamentos todos os comportamentos e situações que evidenciam o transtorno de déficit de atenção e hiperatividade no dia a dia.

É comum que sejam entendidas questões que levam às consequências evidentes nas escolas, no convívio familiar e até mesmo no trabalho em sala comercial compartilhada, onde existe uma maior pressão por resultados e convívio.

Tipo combinado

Recomendações de tratamento

Ainda que o TDAH não tenha uma cura, é possível que os pacientes com o transtorno possam viver bem e conviver dentro de suas relações por meio de alguns tratamentos, sempre encaminhados e acompanhados por seus médicos especialistas.

Um dos principais deles é a terapia, dentre suas várias especificações, que funcionam para cada caso, e em cada especialidade que envolve não apenas a doença, mas as próprias vontades do paciente, que pode ter preferência por tipos de abordagens clínicas.

É muito comum, também, que pacientes de TDAH tenham como receita de tratamento a participação em atividades que busquem um maior controle de suas sensações, como massagem shiatsu ou Yoga, onde o principal é o relaxamento total.

No entanto, em alguns casos, talvez nos mais severos da doença, é preciso que haja entrada de medicamentos no processo, para que então haja um controle mais específico com os controles cerebrais e corporais de quem apresenta o transtorno.

Os efeitos são ainda mais fortes, independente do estilo de tratamento a seguir, quando as práticas começam a ser mudadas ainda na infância.

Visto que é nessa fase que crianças passam a criar seus hábitos, rotinas e personalidades, além de gravarem com facilidade.

Por isso, é sempre importante considerar um acompanhamento precoce da situação do paciente, entendendo suas preferências, suas condições, e verificando em qual tipo de tratamento aquele perfil de pessoa com TDAH poderá se adaptar.

Considerações finais

O TDAH é um transtorno que evoca comportamentos ímpares, como inquietude, ansiedade, maior movimentação de fala e motora em horas inoportunas dentre outras questões que facilmente surgem em meio aos convívios sociais, na escola ou no trabalho.

No entanto, entendendo suas causas, seus sintomas e os principais tratamentos para esse transtorno, é possível fazer com que seus pacientes vivam normalmente, sem maiores dores de cabeça relacionadas à ambientes acadêmicos e de trabalho.

Por fim, entender sobre TDAH é mais do que uma possível descoberta precoce, tanto em crianças como em adultos, mas também uma maneira de desmistificar questões da doença que até hoje geram dúvidas e generalizações fora dos pareceres clínicos.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Você gostou?

0 points
Upvote Downvote

Total votes: 0

Upvotes: 0

Upvotes percentage: 0.000000%

Downvotes: 0

Downvotes percentage: 0.000000%

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

Comments

comments

Certificado Cursos Online é Bom? É Confiável? Será que é seguro?

4 Tendências na gestão de pessoas

4 Tendências na gestão de pessoas