in

O que faz uma máquina injetora de materiais

O que faz uma máquina injetora de materiais

Você sabe o que é uma máquina de injetora de materiais e como ela pode ser utilizada para a produção de diversos tipos de itens?

A indústria de moldes e de plástico sempre foi uma das mais aquecidas do mercado, justamente pela capacidade de desenvolvimento de novos produtos a partir do uso de equipamentos desenvolvidos especialmente para essa finalidade. 

Segundo o Preview Perfil 2019 da Abiplast (Associação Brasileira da Indústria do Plástico), existem no setor 12.091 empresas no segmento, que gera um faturamento de R$ 81,3 bilhões. É, por isso, o quarto setor que mais emprega brasileiros.

Desse total de companhias ativas, 1.073 são voltadas para a reciclagem de plástico. 

Nesse cenário, ao produzir 1 tonelada de plástico reciclado, há a redução de 1,1 tonelada de resíduos do material em aterros.

De fato, o setor traz uma série de vantagens para o mercado, de modo que ao mesmo tempo que torna viável a produção de diversos tipos de produtos, como um regador pequeno, também diminui os poluentes descartados na natureza. 

A maior parte desse processo só é possível graças aos investimentos no setor, que renderam equipamentos de grande importância para que números tão positivos como os mencionados acima pudessem ser alcançados. 

Um desses equipamentos é, justamente, a máquina injetora de materiais, que simplifica uma série de procedimentos, tornando a linha de produção de um estabelecimento muito mais rápida e lucrativa.

Para entender mais sobre esse maquinário, o seu funcionamento e a sua importância para o nicho das indústrias de plásticos, siga na leitura deste conteúdo e saiba mais sobre o assunto. 

O que é uma máquina injetora e como é seu funcionamento?

Para que uma indústria de plásticos possa produzir uma alta quantidade de materiais, ela precisou passar por diferentes modificações, que trouxeram como resultado uma série de maquinários de grande porte, que tornam o seu funcionamento possível. 

Assim como a injeção de alumínio sob pressão, a injeção de plástico funciona por meio de uma máquina, que fica responsável pelo aquecimento da matéria-prima utilizada para a fabricação de produtos com alta durabilidade.

Na produção de um item específico, é necessário ter um molde, que receberá o material da máquina e dará o formato desejado pelo cliente. 

O funcionamento da máquina é bastante simples: ao utilizar polímeros em grãos ou até mesmo em pó, uma máquina injetora pode produzir brindes executivos, além de vários outros artigos em plástico.

Tudo isso se dá com um equipamento de grande potência e proporção, e o processo todo é feito em seis etapas:

  • Fechamento do molde; 
  • Dosagem;
  • Injeção;
  • Recalque; 
  • Resfriamento; 
  • Extração.

1. Fechamento do molde

Na primeira etapa do processo ocorre o encaixe do molde, ou seja, a junção das metades da forma, que serão fixadas nas placas da injetora com o intuito de mantê-las unidas, de modo a evitar que o material escorra pelas cavidades. 

Dessa maneira, é possível reduzir a formação de imperfeições, como as rebarbas, que surgem devido à pressão que ocorre durante o procedimento.

2. Dosagem

A composição de um porta preço acrílico, por exemplo, pode ser definida nesta fase. 

Isso porque é nela que ocorre a mistura de aditivos, sejam eles em pó, em grãos ou pigmentos, que serão derretidos e formarão um material plástico homogêneo.

Ao chegar em uma temperatura que varia entre 200º e 250ºC, o chamado procedimento de plastificação faz com que todos os componentes dosados fiquem amolecidos, para que então possam ser enviados ao molde.

É importante lembrar que cada produto, a depender das suas especificações e funcionalidades, deverá ter uma dosagem, o que também vai influenciar diretamente na vida útil do item.

3. Injeção

A etapa de injeção é feita com o transporte do plástico amolecido pelo sistema do maquinário, que chega ao molde depois de passar pelos estágios de alimentação, de compressão, de fusão e, enfim, de injeção.

O sistema é composto pelo funil, a rosca, o canhão e o bico de injeção, sendo que este despeja os polímeros já misturados e homogêneos na forma. 

Com o auxílio do pistão, ou mesmo do parafuso do canhão, o molde é preenchido, e o resultado final é obtido.

Como a forma é encaixada na parte interna do maquinário, ela deve ser confeccionada para aguentar altas pressões, que são comuns no processo de injeção. 

Além disso, outra configuração importante, que é responsável pelo bom desenvolvimento do produto final, tal como uma pasta catálogo personalizada, é a velocidade com que o plástico é injetado, que deve variar conforme as dimensões do molde.

4. Recalque

Depois da injeção inicia-se a etapa do recalque, onde o processo é realizado em baixa pressão, de modo que a peça possa ser compactada, o que impedirá a contração do item. 

Esse processo também é fundamental para evitar uma série de defeitos comuns na indústria de plástico, sendo os mais comuns: formação de fiapos, rechupes, quebra do item ou mesmo a deformação do produto. 

5. Resfriamento

Após a dosagem do plástico na parte interna dos moldes, começa então o resfriamento, das peças.  

Esse processo se dá com o controle da temperatura feito por circuitos de refrigeração, onde ocorre a circulação de água, que deve estar entre 7º e 10º C, para que se inicie a solidificação do plástico, dando a finalização ao item produzido.

Assim como um adesivo automotivo que, após impresso, deve passar por processos próprios que vão garantir que a tinta seque adequadamente e mantenha a integridade do material, no resfriamento a peça de plástico passa pela etapa que define a sua forma.

6. Extração

Na etapa final, o item é, enfim, extraído dos modes. Para essa fase, são utilizados os pinos extratores, as mandíbulas ou a placa extratora, que ejetam ou retiram cada peça sem causar danos a nenhuma delas. 

A última fase entrega os produtos de acordo com o que foram idealizados no molde, e por já terem passado pelo processo de resfriamento, os resultados finais são bastante positivos e não costumam gerar prejuízos no momento da retirada dos artigos da máquina. 

6. Extração

O que pode ser produzido em uma máquina injetora?

Assim como uma gráfica pode imprimir folder restaurante, lojas, para escritórios de contabilidade ou advocacia, para supermercados ou farmácias, os materiais produzidos em uma máquina injetora são vários, e variam conforme a demanda de diferentes setores. 

Um exemplo simples de itens desenvolvidos na indústria plástica são as estruturas de eletrônicos, sendo comuns também no setor automotivo, com a produção de painéis de carros ou de para-choques. 

As grandes fabricantes de brinquedos também possuem máquinas injetoras, que vão ser utilizadas na produção de diversos tipos de produtos, como baldes, peças de encaixe, mesinhas e cadeiras, etc.

Os vasos de plantas, potes de armazenamento de alimentos, utensílios de cozinha como bacias, talheres e até pratos também são feitos por meio das injetoras de plástico. 

Vale mencionar que até mesmo a área médica pode ser beneficiada com a produção de seringas, que são elaboradas nesses equipamentos de grande importância para o segmento das indústrias de plástico. 

De fato, ao se pensar na impressão em plastico transparente, ou na produção de moldes específicos para o desenvolvimento de um copo com design diferenciado, é possível perceber o quanto esse tipo de equipamento contribuiu positivamente para o setor.

No Preview Perfil 2019 da Abiplast, é possível entender melhor o quanto o segmento foi valorizado, passando de R$ 2,4 bilhões de faturamento em 2018 para os R$ 81,3 bilhões mencionados anteriormente. 

A qualificação dos profissionais do setor

Para quem deseja atuar na área, seja com manuseio do maquinário ou com a manutenção dele, é indispensável recorrer aos cursos de formação que são oferecidos para a capacitação profissional.

Entre eles, há opções como operador de extrusora e injetora de plástico, preparador e regulador de injetoras, além de alternativas para aumentar o nível de segurança dos trabalhadores responsáveis pelo uso e administração dos equipamentos.

Independentemente do tipo escolhido, é essencial investir em capacitação, cumprindo a carga horária do curso para que os conhecimentos adquiridos possam ser eficazes no dia a dia de trabalho. 

Considerações finais

A máquina injetora é um dos equipamentos mais importantes das indústrias de plástico, sendo responsável pela produção de diversos tipos de produtos de uso comum, podendo inclusive desenvolver peças únicas, com formatos personalizados. 

De fato, a tecnologia utilizada no setor é cada vez mais importante e funcional, trazendo recursos que tornam uma linha de produção muito mais eficaz e lucrativa. 

Mas ter uma máquina injetora não é a única solução para uma fabricante. 

É necessário investir na capacitação dos colaboradores, de modo que eles estejam devidamente aptos para operar e realizar a manutenção, quando houver necessidade. 

Não à toa, além de colher benefícios com uma demanda grande de pedidos, a indústria de plástico vem se destacando de modo interessante, conquistando, assim, o seu lugar como uma das mais importantes do mercado.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Referências

http://www.abiplast.org.br/wp-content/uploads/2020/06/Preview_abiplast_2019.pdf

https://www.eurostec.com.br/blog/como-funciona-uma-maquina-injetora-de-plasticos

https://pt.wikipedia.org/wiki/Moldagem_por_inje%C3%A7%C3%A3o

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O que é necessário para trabalhar com turismo de aventura

O que é necessário para trabalhar com turismo de aventura

Passo a passo sobre a inclusão de alunos com deficiência visual

Passo a passo sobre a inclusão de alunos com deficiência visual