in ,

Possibilidades de atuação profissional para programadores

Possibilidades de atuação profissional para programadores

A tecnologia está presente em nossas vidas e faz parte de quase tudo o que fazemos ou lidamos. Diariamente, surgem novas possibilidades tecnológicas e inovações.

Por trás de cada uma delas, há um programador – ou muitos programadores! Por isso, é um mercado em franca expansão e que exige, cada vez mais, profissionais qualificados e altamente especializados. 

São muitas as possibilidades de atuação profissional para um programador e, com o avanço das novas tecnologias,  é uma das áreas que não é afetada pela crise no mercado de trabalho.

É um profissional muito requisitado não só por empresas de tecnologia, mas por companhias dos mais variados segmentos e, cada vez mais, tem se mostrado um grande campo para quem pretende empreender seu próprio negócio. 

Para quem está iniciando nesse mercado e quer fazer um voo solo, uma boa alternativa é a criação de uma micro empresa.

Um ponto bem importante para se levar em consideração antes de abrir sua empresa é que não é possível abrir um MEI para programador, já que a atividade não consta entre as permitidas ao Microempreendedor Individual por ser considerada intelectual.

O que faz um programador?

O programador, basicamente, cria, desenvolve e mantém variados tipos de softwares, presentes em grandes sistemas ou em computadores pessoais.

Para isso, precisa conhecer linguagens de programação para criar os comandos que vão gerar as funcionalidades e utilidades.

São os programadores que desenvolvem e aperfeiçoam websites, aplicativos, programas de computador, sistemas operacionais, sistemas de empresas e redes sociais.

O aplicativo que você usa para enviar mensagens pelo celular, a rede social na qual você interage e estabelece relacionamentos, o aplicativo do seu banco e o jogo no celular são exemplos de programas criados por programadores.

Imagine quantos deles estiveram envolvidos para que você pudesse ler este texto agora, seja pelo celular ou pelo computador!

Com tantas possibilidades de atuação, o profissional precisa se especializar e estar em constante aperfeiçoamento. Neste texto, vamos explorar algumas possibilidades de atuação para programadores, mas a área é extensa e, como vimos, está sempre em expansão. 

Programador Web

O programador que escolhe este nicho vai trabalhar com o foco no desenvolvimento de sistemas para Internet. 

Além de programar, ele testa sistemas, sites e portais e faz, também, a manutenção e executa as correções necessárias para atender as necessidades de seus clientes. 

Para ser um programador web é necessário conhecer e entender várias linguagens de programação e dominar muitas ferramentas.

Programador Web

Conhecimento de ASP, .NET, Java, PHP e a linguagem SQL são importantes. É fundamental, também, que o programador web tenha conhecimento  sobre a estrutura de banco de dados e HTML e CSS.

E, claro, precisa estar sempre ligado às novas tendências e possibilidades de linguagem, pois elas não param de surgir. 

Programador Desktop

Diferentemente do programador web, o desktop trabalha criando programas e soluções para um computador ou para uma rede de computadores. O grande objetivo é a usabilidade e a performance dos programas. 

Para atuar nessa área, é necessário ter conhecimentos em sistemas operacionais (Windows, Linux ou MAC) e, ainda, de linguagens de programação como Pascal, C, C++, VB, C# e VB.NET.

O programador desktop desenvolve e mantém desde pequenas aplicações, para um computador, como sistemas mais complexos para uma rede corporativa, por exemplo. 

Programador Mobile

Cada vez mais estamos dependentes dos nossos celulares, não é mesmo? Com ele, fazemos quase tudo – nos relacionamos, pagamos contas, jogamos, assistimos filmes e, até, realizamos ligações telefônicas.

Por isso, o programador mobile é extremamente requisitado. É ele quem desenvolve aplicativos (APP) e sistemas para dispositivos móveis. 

Além de um grande conhecimento técnico, o programador mobile precisa ser muito criativo e ter em mente, sempre, uma boa experiência para o usuário e, para isso, é desejável que tenha conhecimento em Design UX/UI. 

Para a criação de um APP, por exemplo, será necessária a utilização de várias linguagens, como Java, HTML5, Objective-C, Python e Swift

Programador de Jogos

A indústria de jogos, mais conhecida pelo seu nome em inglês – games – é uma das que mais cresce no mundo.

Há grande demanda para a plataforma mobile, para computadores,  para console (Xbox, PlayStation, Nintendo etc) e, ainda, para os jogos de realidade virtual.

É um campo riquíssimo para os programadores – que podem participar de uma etapa importante – a programação – ou se apropriar de todo o processo que envolve design gráfico, de som, roteiro e muitas outras habilidades. 

Para ingressar neste mercado, é desejável que o programador tenha uma ótima noção matemática, de gráficos 2D e 3D, interface com o usuário, inteligência artificial, dispositivos de entrada, redes de computadores e conhecimentos de Física.

E, claro, precisa dominar as linguagens de programação já referidas neste texto. 

Programador de Jogos

Web Design

Há uma demanda no mercado para programadores que atuem , também, com tecnologias fora da programação e que envolvam a parte gráfica, como o photoshop, por exemplo. 

É o profissional que cria ou executa a parte gráfica, o visual de um site, por exemplo. É importante que ele tenha conhecimento em design responsivo, UX/UI.

Como vimos neste texto, há diversas oportunidades de trabalho para programadores e, para todas elas, é importante que o profissional domine os princípios básicos de programação.

Os programadores podem trabalhar sozinhos, em grandes equipes e em parceria com desenvolvedores de software.

Você deve ter percebido, também, que além das habilidades técnicas, raciocínio lógico e matemático e conhecimento das linguagens de programação mais adequada para cada finalidade, é bem vindo o conhecimento da língua inglesa. 

E, por falar em inglês, outra forma de definir o trabalho do programador é por suas funções ou competências, que podem ser de front-end, que é o que cuida da parte visual e da interface do usuário e de back-end, que é o responsável pelo funcionamento de tudo que fica escondido do usuário, mas fundamental para o funcionamento do sistema ou aplicação. 

Já as competências DevOps são aquelas em que o programador é responsável por automatizar e acelerar os processos de desenvolvimento, desde que o código é escrito até estar funcionando para o usuário. 

Normalmente, após alguns anos de experiência, o profissional que domina todas as funções e habilidades e navega em todas as linguagens é conhecido por desenvolvedor full-stack.

Pronto para encarar o mercado de programação?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Itens indispensáveis para trabalhar com conforto em home office

Itens indispensáveis para trabalhar com conforto em home office

Como estudar para tirar a primeira habilitação

Como estudar para tirar a primeira habilitação