in , ,

Como a psicologia funciona na educação dos filhos?

Como a psicologia funciona na educação dos filhos

A psicologia tem papel importante na vida das pessoas em diversos sentidos, e é por essa razão que se tornou uma área indispensável para a sociedade.

A vida moderna trouxe muitas responsabilidades para as pessoas, como uma rotina de trabalho, estudos, cuidados com a casa, saúde e com a família. Mas esse acúmulo de tarefas é capaz de deixar qualquer pessoa estressada.

O cotidiano pode se tornar agitado até mesmo para crianças e adolescentes, que desde muito cedo precisam assumir uma jornada de estudos e outras atividades, que trazem consigo mudanças importantes.

Em algum momento da vida, algumas pessoas são acometidas por situações que as desestabilizam emocionalmente, e nesse momento, a presença de um psicólogo é fundamental.

Esse profissional ajuda a lidar melhor com as emoções, trabalha traumas e sentimentos e auxilia no alívio de comportamentos e hábitos que prejudicam a qualidade de vida, que podem até mesmo comprometer a saúde.

No mundo moderno, o psicólogo se tornou imprescindível para garantir o bem-estar e a saúde mental, além de colaborar com a educação dos filhos.

Pensando nisso, neste artigo, vamos explicar o que o psicólogo faz, de que maneira ele influencia na educação dos filhos e como a psicologia pode ser usada nesse processo. Confira!

O psicólogo é um profissional que conduz as pessoas em uma jornada de autodescoberta, para que possam compreender suas dificuldades e a maneira como elas se relacionam com seus próprios sentimentos e pensamentos.

Trata-se de um trabalho que busca constantemente desvendar o comportamento humano, o funcionamento da mente e garantir o bem-estar do indivíduo.

Dentro de clínicas de psicologia, é possível encontrar profissionais atuando em diferentes áreas, além de prestarem atendimentos em grupo ou individuais. Dentre as principais áreas estão:

  • Psicologia clínica;
  • Psicologia escolar;
  • Psicologia hospitalar;
  • Psicologia do trabalho.

Cada uma delas se especializa em uma prática e propõe atividades compatíveis com seu campo de atuação. Portanto, o papel do psicólogo vai muito além do simples atendimento em consultório.

No caso da psicologia clínica, o profissional pode atender em seu consultório particular, mas também em outros ambientes, como ambulatórios, atendimento à distância, domiciliar, unidades básicas de saúde e uma série de ambientes relacionados.

A psicologia escolar analisa a criança ou adolescente durante seu período de aprendizagem. O psicólogo também pode ajudar a desenvolver metodologias de ensino e analisar o ambiente de trabalho de professores, diretores e coordenadores.

No caso da psicologia hospitalar, por sua vez, o profissional tem como principal foco a psicoterapia breve, podendo atuar em UTIs, centros de cardiologia, emergências, entre outros.

Afinal, qual o papel do psicólogo?

Na psicologia do trabalho, o profissional orienta colaboradores recém-contratados para que eles assumam suas atividades de modo mais tranquilo. Também elabora planos de carreira, analisa o ambiente de trabalho, dentre outras funções.

Contudo, ele também pode ajudar em outras necessidades, como no caso da educação dos filhos. Mas antes de procurar um psicólogo, é necessário entender o papel dos pais nesse processo.

A influência dos pais para educar as crianças

Os pais querem sempre o melhor para os seus filhos, por isso contratam clínica de nutrição, procuram boas escolas e se preocupam com o desenvolvimento das crianças desde o seu nascimento.

Mas além de contar com todos esses profissionais, os responsáveis também precisam entender o seu papel na educação das crianças e adolescentes.

Afinal, o comportamento dos pais influencia na maneira como os filhos vão se relacionar com o mundo e com as pessoas

A educação sexual, por exemplo, é determinante no que diz respeito ao modo como os futuros adultos vão lidar com sua sexualidade. Por essa razão, é muito importante conversar com os filhos sobre sexualidade.

Pais que se mostram disponíveis para essa conversa abrem espaço para uma discussão sadia, e ao contrário do que muitos pensam, essa conversa não libera os filhos para as relações sexuais de maneira inconsequente, muito pelo contrário.

Aliás, é fundamental conversar sobre qualquer assunto, desde a rotina na escola até o andamento de um tratamento com homeopatia para dormir.

Os pais precisam estabelecer uma boa relação com o objeto de discussão, caso contrário, precisam ser sinceros com os filhos e mostrar suas incapacidades e limitações.

Outro tipo de influência é a participação dos pais na educação formal das crianças, pois aqueles que valorizam a formação científica e cultural influenciam positivamente a relação dos filhos com sua formação.

Pais que demonstram interesse por aquilo que o filho aprende na escola aumentam a disposição e a facilidade de aprendizagem.

Assim sendo, é correto dizer que o papel dos pais na educação dos filhos é completamente emocional, mas também é possível introduzir a psicologia como uma alternativa nesse processo.

Sobre o uso da psicologia para educar os filhos

A psicologia pode ajudar na educação dos filhos de muitas maneiras, possibilitando que os pais estejam mais presentes em várias etapas, desde o momento de fazer impressão de apostilas para a escola até na superação de um problema.

Usar a psicologia a seu favor é uma maneira de criar filhos mentalmente saudáveis e bem resolvidos com eles mesmos, e existem várias dicas nesse sentido.

Uma delas é não fazer comparações, pois elas podem gerar frustração, ansiedade e baixa autoestima. Cada pessoa tem seu próprio tempo de desenvolvimento, sendo necessário respeitar o tempo da criança.

Da mesma maneira é fundamental que os pais estejam presentes, pois isso garante a autoconfiança bem como a autoestima dos filhos, e colabora para que eles construam relações afetivas construtivas.

Alguns pais acreditam que conforto físico é o suficiente e que os cuidados podem ser terceirizados para babás e até mesmo para o ambiente escolar.

Apesar desses auxílios serem bons, a educação começa com os pais e eles precisam estar presentes ao longo da vida da criança.

A escola oferece recursos para o aprendizado, como no caso dos jogos pedagógicos para alfabetização, mas os pais oferecem conforto emocional durante todo esse processo.

Nesse sentido, não se deve apontar o tempo todo as qualidades ou defeitos que a criança não tem, pelo contrário: é muito importante valorizar o que ela tem e sabe.

Quando isso não acontece, a relação entre pais e filhos se torna uma sucessão de frustrações, o que prejudica o desenvolvimento e a autoestima.

Os pais também precisam ter em mente que conversar é prevenir. Ao abrir um canal para o diálogo, fica mais fácil ter acesso à vida do filho e aproveitar melhor sua companhia.

Também é por meio do diálogo que a criança ou adolescente desenvolve seu senso crítico, raciocínio lógico, empatia, julgamento, tolerância, paciência, dentre outras características.

Outro ponto indiscutivelmente essencial é o fato de que os pais precisam saber falar não aos filhos. É dessa forma que a pessoa desenvolve a noção necessária para fazer suas escolhas, desde comer uma marmita fit personalizada até a faculdade que vai cursar.

Sobre o uso da psicologia para educar os filhos

A criança precisa saber desde sempre até onde ela pode ir, sendo este um ponto indispensável na formação de valores.

Não existe uma fórmula mágica que pode ser usada na criação e educação de um ser humano. As crianças são únicas, e por essa razão, os pais devem acreditar em seu próprio instinto e observar os filhos.

No entanto, caso a criança, pai ou mãe sintam dificuldade, desconforto ou até mesmo estejam sofrendo com alguma situação, é fundamental procurar o auxílio de um psicólogo.

Cuidados como monitoramento residencial, boa alimentação, educação de qualidade, dentre outros, são essenciais na vida das crianças, mas é normal ter alguma dificuldade durante esse processo.

Também é vital criar regras e rotina para os filhos, pois este é o caminho para que eles aceitem e compreendam situações futuras, como o trabalho. No entanto, é importante lembrar que as regras devem ser seguidas por ambos os lados.

Por exemplo, se durante o jantar é proibido usar o celular, os pais também não devem fazer isso. É dessa forma que ensinamos às crianças a respeitarem regras, mas os pais devem estar abertos a questionamentos.

Da mesma maneira, ser flexível é importante para administrar frustrações, sem abrir mão da ordem e da concordância entre os outros.

Além de optar pelas melhores clínicas pediatras, é necessário compreender a individualidade da criança, portanto, é errado esperar que ela repita a trajetória dos pais ou faça coisas que eles gostariam de ter feito e nunca fizeram.

Por fim, os pais precisam se lembrar de que os filhos esperam que eles os escutem e os entendam, pois assim se sentem compreendidos e aceitos.

Considerações finais

Criar e educar filhos não é uma tarefa tão simples, mas a psicologia pode ajudar de muitas maneiras, como vimos ao longo deste artigo.

Usá-la é a melhor forma de garantir a saúde mental das crianças e adolescentes, para que sejam adultos felizes, saudáveis e bem resolvidos durante seu crescimento. 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Como me destacar como um vendedor

Como me destacar como um vendedor?

Design, arquitetura e decoração como essas áreas caminham juntas

Design, arquitetura e decoração: como essas áreas caminham juntas